Telefonema estranho faz a mulher correr para as urgências… Mas ficou sem palavras quando lhe disseram que o bebé é dela!


Amy nunca esquecerá o dia em que a sua vida mudou para sempre. No dia 25 de novembro, a mãe de 43 anos estava a fazer as malas para uma viagem de Ação de Graças para a casa de férias no lago. Ela estava totalmente concentrada em levar os seus filhos, cães e marido para umas férias merecidas, mas um telefonema urgente interrompeu tudo o que ela estava a fazer.

A mulher do outro lado da linha estava muito silenciosa quando disse a Amy que esta tinha de passar pelo hospital o mais rápido possível. A mãe ocupada perguntou se aquilo podia esperar até ela voltar de casa da viagem, mas realmente não teve escolha.

Só depois de Amy ter conseguido falar com a enfermeira-chefe é que lhe disseram porque é que as suas férias em família estavam arruinadas. A mãe confusa foi levada para a NICU, onde lhe mostraram um bebé recém-nascido que foi encontrado ainda com o cordão umbilical. Foi aí que a equipa lhe disse que ela tinha sido marcada como a mãe do menino misterioso!

Embora Amy e o seu marido já tivessem filhos, eles queriam mais e procuraram uma agência de adoção para ajudar a tornar esse sonho realidade. Alguns dias antes do Dia de Ação de Graças em novembro de 2014, Amy recebeu um telefonema da agência de adoção. Disseram-lhe que precisava de assinar alguns documentos muito importantes.

Amy estava ligeiramente irritada pois tinha sido interrompida enquanto fazia as malas para as férias em família, mas ela finalmente cedeu depois de que a mulher a convenceu a entrar.

“Ao sair da porta, o meu marido Todd disse-me que viu nas notícias algo sobre um bebé que foi deixado nos cuidados urgentes locais ainda com o cordão umbilical. A sua mãe disse que era sem-abrigo e não podia cuidar dele”, conta Amy.

Amy achou a história muito triste, mas não pensou mais nisso. Uma vez que a sua mãe era sem-abrigo, não era provável que o pobre rapaz tivesse recebido os melhores cuidados neo-natais, e não devia estar no melhor estado de saúde, tendo nascido fora do hospital.

Quando Amy chegou à agência de adoção, ela ficou assustada quando lhe disseram que não havia nenhuma documentação para assinar. Os funcionários estavam a limpar as lágrimas dos seus olhos, e o medo encheu o seu coração – a pobre mãe achou que algo havia de errado com a papelada.

“Temi o pior – que algo tivesse dado errado com a nossa papelada – e finalmente perguntei se estava tudo bem. Foi quando eles me entregaram um papel com o título “Mulher Abandona Recém-Nascido na Clínica Tulsa””, conta Amy.

A agência disse a Amy para ir ao hospital porque o seu novo bebé estava à espera dela! Acontece que todos na agência estavam emocionados e a chorar porque todos tinham testemunhado as bênçãos milagrosas de Deus no decorrer do trabalho.

Atordoada com a notícia, a mãe não sabia como ia contar ao marido e às crianças que tinham um bebe à espera deles. Amy voltou para casa e entregou ao seu marido um recorte de jornal da mesma notícia sobre a qual ele lhe tinha contado quando ela correu pela porta horas antes.

“Os nossos planos certamente seguiram uma direção diferente. Nós comprámos o que era preciso, assim como um elefante de peluche e um cobertor cinzento, e fomos para o hospital. Escolhemos um nome com o qual todos concordámos. Quando chegámos, demorou um pouco até o vermos porque a única enfermeira que sabia da história dele era a enfermeira-chefe. Recebemos um número secreto de 4 dígitos para nos identificarmos”, conta Amy.

Amy e Todd estavam cheios de arrepios e lágrimas. Ela diz que ainda fica em choque ao pensar que Deus os escolheu para ser os pais do menino. Eles passaram a semana que vem com o recém-nascido na NICU, onde ele estava a ser monitorizado.

“A certo ponto, a sua enfermeira mencionou que pensavam que ele estava a sofrer de dependência e estava preocupada, mas quando chegámos para a sua refeição seguinte, ela disse que não era o caso – ele era apenas refilão quando não estávamos lá ao seu lado. Oh, o meu coração!”, lembra Amy.

Apesar de o casal ter tido a sorte de se adaptar ao bebé, ainda havia muita burocracia e papelada para tratar. Não foi até ao Dia de Graças do ano seguinte que a adoção se tornou oficial.

Felizmente tudo correu bem para esta família! E que tudo continue assim, que eles bem merecem!

Comentários

Artigos Relacionados: