Sabias que o actor Paul Walker foi “ressuscitado” em Velocidade Furiosa 7? Descobre como!


Velocidade Furiosa 7 mal estreou, tornou-se logo um sucesso dos cinemas. Mas o que mais impressionou os fãs foi a presença do ator Paul Walker no filme. Mas como isso foi possível?

Muitas pessoas não conseguiram segurar a emoção quando viram Paul Walker no papel de agente Brian O’Conner nas telas do cinema. O ator, que morreu em novembro de 2013 aos 40 anos, foi “ressuscitado” nas cenas de Velocidade Furiosa 7.
O motivo da morte foi um acidente de carro na Califórnia, que ocorreu a meio das filmagens do mais recente filme da saga. Dessa maneira, só restaram duas alternativas para o estúdio Universal, deixar o filme inacabado ou usar a tecnologia para terminá-lo.

paul_walker_velocidade_furiosa_7_1

Claro, optaram pela segunda. Depois de vários meses as gravações foram retomadas. Muitas pessoas que viram o filme afirmam que é difícil identificar as cenas feitas depois da morte do ator.
Mas como essas cenas foram feitas? Para “ressuscitar” Walker, o estúdio usou imagens geradas por computador. Além disso, também foram usadas outras alternativas, como duplos.

O duplo de Paul
paul_walker_velocidade_furiosa_7_2

O responsável por trazer O’Conner de volta foi o estúdio do diretor neozelandês Peter Jackson, que também foi responsável pela adaptação dos livros O Senhor dos Anéis e O Hobbit para o cinema.
Além dos efeitos gráficos, os produtores também usaram duplos nas cenas e contaram, inclusive, com a ajuda de dois irmãos de Walker em cenas com enquadramentos em que não se via o rosto do personagem.
Outra tática usada, foi a utilização de cenas de filmes anteriores da saga que nunca tinham sido usadas e em que Walker aparece. Para isso, o roteiro teve de ser adaptado para que as cenas antigas se encaixassem no filme.
A morte do ator não criou apenas atrasos nas filmagens, mas um aumento significativo dos gastos. A perda de prazos e o uso de computação gráfica aumentou o orçamento do filme em US$ 50 milhões, somando um total de US$ 250 milhões na produção.

Em segredo
paul_walker_velocidade_furiosa_7_3

O estúdio Universal até o momento não revelou quais cenas foram rodadas pelo ator e quais foram feitas por duplos ou computação gráfica. Com a tecnologia cada vez mais avançada é difícil perceber a diferença entre uma filmagem de verdade e uma criada com computação gráfica.
Para ter ideia, em algumas cenas, os duplos foram usados e em seguida o rosto de Walker foi colocado neles usando computação gráfica. Além disso, técnicas de animação fizeram com que os movimentos do rosto dos ator se encaixassem nos movimentos do rosto dos duplos. Assim, tudo ficou com aspecto natural.
Para esse efeito, provavelmente foi usado um modelo em 3D do rosto do ator. Esse tipo de modelo geralmente é feito com um scanner ou um sistema de câmaras, que pode ter siso usado antes de sua morte.
Em filmes de ação é comum substituir o rosto do duplo pelo de um ator em cenas perigosas, logo, essa possibilidade poderia ser viável ao estúdio.

0 Comments

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Send this to a friend