O wireless é mais perigoso do que imaginas! É uma ameaça silenciosa para a nossa saúde!


Sabias que o wireless é uma enorme ameaça para a nossa saúde? Será que já sofres de algum destes sintomas que o wireless provoca na nossa saúde? Nos dias de hoje, o sinal wireless ou wi-fi está em praticamente todas as casas, e em todas as redes sem fios que fornecem conexão à internet para vários aparelhos sem a necessidade de usar cabos.

Wi-fi está sempre à nossa volta hoje em dia, mesmo em lugares onde não é necessário.

É a conexão mais apropriada para smartphones, faz com que tenhamos nas nossas mãos o acesso a informações, além de poder interagir com outras pessoas electronicamente.

No entanto, as coisas não são tão maravilhosas como parecem. Acredite ou não, wi-fi prejudica nossa saúde, sem nenhum aviso.

Aparelhos sem fios como tablets e smartphones conectam-se on-line através dos routers ou distribuidores de sinal wireless.

Esses dispositivos emitem sinais WLAN, ou ondas electromagnéticas, que, infelizmente, podem causar sérios danos.

A maioria das pessoas ignora isso, geralmente devido à falta de conhecimento sobre esta questão.

Ao longo do tempo, esses sinais afectam o corpo e prejudicam as suas funções vitais.

A Agência de Saúde Britânica realizou um estudo segundo o qual os routers afectam o desenvolvimento das pessoas e das plantas.

wireless_wifi_perigo_saude

A exposição ao wi-fi tem as seguintes consequências para a sua saúde:

  • cansaço crónico
  • dor de ouvido
  • falta de concentração
  • dores de cabeça frequentes e graves
  • distúrbios do sono
  • cancro

O mundo moderno não pode sobreviver sem tecnologia, isso é um facto.

O que deve fazer é aprender como proteger-se dos perigos que ela traz.

Nós vamos dar algumas dicas úteis sobre como usar o router com segurança ou pelo menos diminuir o potencial perigo dele.

Como proteger a sua família da radiação das redes wi-fi:

  • desligue o modem quando for dormir
  • também desconecte seus aparelhos de qualquer rede wi-fi antes de ir para a cama
  • desligue o wi-fi quando não precisa dele
  • não deixe o modem na cozinha ou no quarto
Fonte: curapelanatureza.com.br


20 Comments

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  1. Trabalhei durante cerca 35 anos nas proximidade (20 metros) de antenas da RTP com frequências de VHF (30 a 300 Mhz.) a SHF (3 Ghz a 30Ghz) com potencias até 10 MWs . E hoje o WiFi entre 2 e os 5Ghz e com uns mW
    Cá estou com 70 anos normais . Por isso tenho grandes duvidas sobre as consequências na saúde

    1. Meu pai fumou durante 50 anos e nunca ter cancer ou problemas nas coronárias. Esta com saude aos 70 anos. Nao é porque nao teve nada que cigarro nao faça mal. O PubMed tem dezenas de estudos sobre maleficios de celular e wifi, desde reduçao de hormonios sexuais a stress oxidativo na cabeça ee fígado. Tem pesquisas em seres humanos demonstrando os maeficios tambem, da UFRS. Onde ha fumaça ha fogo. Nao foram realizafos testes fe longo prazp para determinar a segurança da radiaçao de onda nao ionizantes de wifo para aprovar o produto e determibar os limites seguros à exosiçao humana.

  2. Todos os metodos que transmitam electrinoc Signals sao projidiciais a saude ! nao me venhamm com tretas ! tanto e q eu com o meu ham radio metendo uma lampada flurescente ao pe dela consigo acender a lampada !

    1. Parece que a página é essa “http://www.icnirp.org/en/applications/wi-fi/index.html”. Pena que eu não entenda da lingua inglesa muito bem. Se conseguires traduzir direito, publique aqui ou remeta para mim ([email protected]), por favor. Obrigado.
      Tem um detalhe: durante o dia, passamos por uma série de desgastes, desde físicos até mentais, mas, o sono foi feito para que nos restabeleçamos desses esses desgastes. Se o desgaste provocado por essas ondas forem recuperadas durante a noite, acho que não tem problema algum. Talvez haja problema se deixarmos o wireless ou o roteador ligado e durante o sono.

      1. WI-FI
        Rede de rede local sem fio – WLAN
        Alta frequência
        Características da aplicação e seu uso

        O Wi-Fi é o termo agora comumente usado para designar uma rede de área local sem fio (WLAN), que é usada para trocar dados entre dispositivos eletrônicos e para conectar-se sem fio, por exemplo, computadores pessoais, tablets ou telefones inteligentes uns aos outros e para a Internet. As bandas de ondas principais usadas pelas redes Wi-Fi estão na faixa de alta freqüência (HF) do espectro eletromagnético (vários GHz).

        Os roteadores de rede Wi-Fi (ou Pontos de acesso sem fio – WAPs) geralmente são configurados em casas e em edifícios públicos, como aeroportos e estações, hotéis e restaurantes, hospitais, escolas e escritórios, para fornecer acesso à Internet a todos os dispositivos conectados a eles sem fio. As redes Wi-Fi ao ar livre são fornecidas nas cidades de todo o mundo; neste caso, a cobertura para uma área grande exigirá uma série de pontos de acesso sem fio.

        A exposição pessoal ao HF do Wi-Fi apresenta as mesmas características gerais que a exposição das estações base (campo distante) e dos telefones móveis (campo próximo). Considerando que a exposição do campo próximo dos dispositivos conectados ao roteador é principalmente limitada no tempo e é mais alta para as partes do corpo mais próximas do dispositivo, a exposição do campo remoto devido ao roteador é uma exposição total do corpo, que é de menor intensidade, mas por mais tempo vezes como as emissões de HF continuam independentemente de um dispositivo estar ou não operacional.

        Efeitos de HF sobre o corpo e implicações para a saúde

        Os campos de HF têm a capacidade de penetrar no corpo (quanto maior a frequência, menor a profundidade de penetração), com o efeito principal desse aumento de temperatura no tecido exposto. O corpo pode acomodar um pequeno aumento de temperatura, de forma semelhante o excesso de calor corporal é dissipado ao realizar atividades esportivas. Isso ocorre porque o corpo humano pode regular sua temperatura interna. No entanto, acima de um certo nível (referido como o limiar), que depende da duração da exposição, a exposição ao HF e o aumento de temperatura que o acompanha podem provocar graves efeitos na saúde, tais como danos nos tecidos (queimaduras) e insolação. No caso de exposição ao HF do Wi-Fi, o nível de exposição está abaixo desse limite para que a temperatura do corpo não seja afetada.

        Um grande número de estudos foram realizados sobre os efeitos agudos e a longo prazo da exposição à IC, como Wi-Fi, sem mostrar evidências conclusivas de efeitos adversos para a saúde. Grande parte dessa pesquisa é inferida do celular e da literatura da estação base, pois se refere a uma exposição semelhante.

        Entre todas essas pesquisas, o risco de tumores próximos da orelha onde o telefone é mantido, por exemplo, tumores cerebrais, tem sido o foco de numerosos estudos epidemiológicos. Alguns desses estudos epidemiológicos relataram um pequeno aumento no risco de alguns tumores cerebrais para o pequeno grupo de usuários de telefones celulares de longo prazo e pesados ​​( leia mais). Essas descobertas podem ser explicadas por preconceitos de relatórios e fracos identificados nos estudos. Vários estudos não relataram nenhum aumento nos tumores cerebrais com o uso de telefones celulares. Além disso, estudos experimentais em animais e células não conseguiram confirmar os estudos epidemiológicos, e não há mecanismo biofísico que possa explicar a carcinogenicidade a níveis tão baixos de exposição. Além disso, o risco aumentado observado em alguns estudos epidemiológicos é inconsistente com a freqüência estável de ocorrência destes tumores na população. Essa é uma consideração importante, dado o aumento generalizado e significativo no uso de telefones celulares na população em geral nas últimas décadas.

        Em particular, uma quantidade considerável de pesquisa já foi conduzida sobre a relação entre os campos de IC e os resultados, como dores de cabeça, dificuldade de concentração, qualidade do sono, função cognitiva, efeitos cardiovasculares, etc. Até à data, essa pesquisa não mostrou nenhum efeito dessa natureza . A única constatação consistentemente observada é um pequeno efeito sobre a atividade cerebral medida por eletroencefalografia (EEG). A implicação biológica dessas pequenas mudanças é, contudo, pouco clara. Por exemplo, eles não demonstraram afetar a qualidade do sono ou estar associados a outros efeitos adversos para a saúde.

        A avaliação geral de todas as pesquisas sobre os campos de HF leva à conclusão de que a exposição à IC abaixo do limiar térmico provavelmente não estará associada a efeitos adversos para a saúde.

        Protecção

        Em geral, para evitar riscos para a saúde decorrentes da exposição à IC, o aumento de temperatura no corpo e na cabeça deve ser restrito. Assim, a ICNIRP recomenda que a absorção de energia HF na cabeça e no corpo, expressada em termos da Taxa de Absorção Específica (SAR) relacionada ao aumento da temperatura, seja limitada. Distintos valores de SAR aplicam-se à exposição de todo o corpo, como típico do roteador de rede Wi-Fi e para a cabeça, principalmente relevante para dispositivos conectados ao Wi-Fi, como telefones celulares.

        A ICNIRP acompanha a pesquisa científica relacionada à HF e qualquer nova informação relevante para a saúde. Uma revisão das atuais diretrizes ICNIRP sobre HF usadas em conjunto com Wi-Fi está em andamento.

    1. Em várias páginas do site “http://www.icnirp.org/”, tem a expressão “(though the higher the frequency, the lower the depth of penetration)”, cuja tradução pelo Google tradutor é “(quanto maior a frequência, menor a profundidade de penetração), retirando a palavra “though” (?). Se eu não estiver enganado, é exatamente o contrário o que acontece com a frequencia (ondas): quanto menor a onda, maior a frequência e maior é a penetração. Creio que a frase correta, no caso, seria “(though the higher the wave, the lower the depth of penetration)”. Acho que tem algo errado na frase deles.

  3. aqui está uma medida de perventiva e não uma obrigação geral humana , quem quer faz o bem ao seu organismo , quem não quer que faça o que bem achar, mas não venham aqui difundir más opiniões

  4. Quando a mente é podre que esperar destes corpos desleixados
    aqui está uma medida de preventiva e não uma obrigação geral humana , quem quer faz o bem ao seu organismo , quem não quer que faça o que bem achar, mas não venham aqui difundir más opiniões

  5. Muitos sao os ignorantes. Nao vive esperando que sempre outros devem fazer um estudo pra ti, por isso atualmente 90% das mortes registados no mundo tem sido fruto da ignorancia do home

    Eu pessoalmente acredito neste artigo por mim mesmo. so desde 2013 o meu sono nao tem sido o mesmo de antes, cansaco tem sido constante ao despertar, dores de cabeca idem pra nao falar de outras coisas. Eu sempre desconfiei de Wireless e ja dei conta do recado a muito tempo. Sou Engenheiro de Telecomunications, entao tenho algumas bases por traz dos meus argumentos.

    Wireless e fundamental hoje e nao sera possivel revelarem a parte muito ma deste sistema de comunicacao, mas espere quando haver descoberta de um systema melhor ai sim eles dirao a verdade nao porque se empotam com a humanidade, mas sim pra que todos possam aderir rapidamente o novo sistem.

    Nao temos como fugir disto mas sempre que poder tente ficar distante disso.

  6. ta errado
    as ondas eletromagneticas omtidas pelos aparelhos wireless tem uma frequência menor que a da luz
    seguindo essa linha de raciocinio, o simples refletir do sol em seu rosto causaria un dano muito maior q os wireless

  7. Não cara, que loucura.
    Primeiramente

    As ondas eletromagnéticas dos aparelhos wireless são infra-vermelho. Ok?
    Onda infravermelhos tem uma frequência menor que a da luz visível.

    Logo

    Seguindo essa linha de raciocínio, o simples reflexo de luz em você lhe causaria mais dano que esse “perigoso” wireless.

Send this to a friend