Novo medicamento que regenera os dentes pode ser o fim das obturações!

Pesquisadores criaram um medicamento capaz de regenerar os dentes de dentro para fora, reduzindo a necessidade de obturações.

A substância funciona através da ativação da células-tronco dentro da polpa do dente, fazendo com que a área danificada regenere o disco de dentina – material que compõe a maior parte dos dentes. “A simplicidade da nossa abordagem torna-a ideal como um produto clínico para o tratamento natural de cáries, fornecendo tanto a proteção da pasta e restauração da dentina”, disse o principal autor, Paul Sharpe.

Depois de que um dente é danificado por traumas ou cáries, a polpa macia no seu centro pode ser exposta, aumentando o risco de infecção. Para evitar isso, os nossos corpos criam uma fina camada de dentina – o disco de tecido calcificado que compõe a maior parte de um dente – o que ajuda o material exterior a fazer o seu caminho para dentro.

Mas esse processo não é suficiente para impedir que as grandes cáries exponham a polpa, razão pela qual os dentistas perfuram e depois preenchem a área com outros materiais – um tratamento que funcionou no passado, mas não é o ideal. “O dente não é apenas um pedaço de mineral, ele tem a sua própria fisiologia. Você está a substituir um tecido vivo com cimento inerte”, disse Sharpe ao The Guardian.

Sharpe e a sua equipa descobriram que poderiam utilizar a droga – que já foi usada no tratamento contra Alzheimer – para estimular as células-tronco dentro do dente. Para descobrir isso, os pesquisadores usaram Tideglusib em dentes danificados de ratos e analisaram a activação das células estaminais. O fármaco foi aplicado na cavidade usando uma esponja de colágeno biodegradável com moléculas de Tideglusib.

Após várias semanas, a equipa viu que a esponja de colágeno tinha desaparecido e os dentes tinham se regenerado o suficiente para preencher a lacuna. O processo em si é muito semelhante a um enchimento de cavidade normal, mas em vez de um enchimento artificial, os dentistas utilizam materiais que o próprio corpo produz, obtendo dentes mais saudáveis ​​a longo prazo.

“Odontologia não é apenas preenchimento e perfuração, mas também sobre como manter os dentes saudáveis”, disse o biólogo celular Ben Scheven da Universidade de Birmingham, no Reino Unido. “Especialmente por ser um tratamento acessível e barato, eu posso imaginar isso a ser usado em clínicas dentárias”, completou.

Considerando que a técnica só tenha sido testada em ratos, há muito mais pesquisa a ser feita para confirmar se os resultados podem ser replicados em seres humanos. A boa notícia é que Tideglusib e as esponjas de colágeno usadas no procedimento passaram pelos ensaios clínicos para outros tratamentos, o que provavelmente acelerará a sua chegada aos consultórios.

Esse não é o único esforço para melhorar as obturações. Em 2015, outra equipa no Reino Unido anunciou que está a desenvolver um produto que podia ser inserido num dente para estimular as células-tronco e provocar o crescimento da dentina. Outro estudo de 2015, realizado na Austrália, descobriu que a cárie dentária pode ser revertida com a aplicação de uma camada altamente concentrada de fluoreto sobre os dentes, diminuindo a quantidade de tratamento necessária.

O estudo foi publicado em Scientific Reports.

Fontes: Science Alert / King’ College London / The Guardian. Fotos: Reprodução / Flickr