Há uma cidade perdida debaixo de Coimbra, mas pouca gente sabe disso!


publicidade

Esta cidade que se localiza por baixo de Coimbra tem milhares de anos, mas mesmo assim é desconhecida pela maioria. Chamavam-lhe Aeminium, e hoje, é um vestígio apenas.

Aeminium foi um importante entreposto comercial, a residência dos monarcas D. Henrique e D. Teresa, o local de nascimento do primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, e, finalmente, cidade universitária e do conhecimento.

aeminium_1

A antiga Aeminium deixou vestígios no presente. Um deles é o criptopórtico romano, localizado no Museu Machado de Castro. Os vestígios mais antigos de Aeminium datam da era romana, quando aquele povo fundou a cidade, em colaboração e sempre protegida pela vizinha Conímbriga, a apenas 16 quilómetros de distância, na localidade de Condeixa-a-Nova.

aeminium_2

Contudo, quando os Suevos saquearam e destruíram Conimbriga, em 465 e 468 d.C., os seus habitantes tiveram de fugir para Aeminium, aumentando a população local e ajudando a cidade a prosperar e a crescer.

aeminium_3

O mais importante destes vestígios é o criptopórtico, uma galeria de túneis subterrâneos com vários arcos no topo, construído para suportar o Fórum Romano da antiga Aeminium. Durante a Idade Média, o palácio de um membro do clero foi construído sobre o fórum, edifício que actualmente alberga o Museu Machado de Castro e que esconde o criptopórtico, que pode ser visitado entrando no museu.

aeminium_4

A plataforma artificial que suportava a estrutura manteve-se inalterada até aos dias de hoje e permite que, pela primeira vez na história, o público tenha total acesso ao fórum, uma experiência que pode ser enriquecida pelas recentes descobertas.

aeminium_5

Relacionados:

20 Comments

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  1. Em futuro próximo não perderei a oportunidade de viisitar essa reliquia, isto se for permitido, e já agora qual o local para adquirir ordem ou o ingresso ?

    1. É no Museu Machado de Castro! Na minha infancia nao se conhecia a dimensao destas galerias que se encontravam atulhdas de terra e pedras. Ao longo dos anos foram sendo limpas e quanto mais se escavava mais tuneis e mais pisos foram sendo descobertos!

  2. Gosto de Coimbra e vou lá de vez em quando. Moro no Porto. A minha filha estudou lá. Gostava que me informassem como posso visitar essa cidade.
    Obrigada

  3. …não é a primeira vez que, ALTAMENTE, me sinto atraído e – com vivo interesse – me sinto beneficiário pela informação apreendida e retida através da divulgação investigacional actualizada e (muito) qualificada para que sou, frequentemente, alertado sobre assuntos e matérias de invulgar relevância. É-me gratificante a oportunidade de exprimir-vos as minhas felicitações. E o meu reconhecimento.
    José-Luis Ferreira

  4. Esta notícia está interessante e correcta. Mas se me permitem um reparo o primeiro parágrafo pode originar uma confusão. Aeminium foi o nome da cidade do tempo dos romanos que construíram o criptopórtico. Quando Conímbriga foi conquistada, os seus habitantes refugiaram-se em Aeminium que passou a ser designada Columbria,Colimbria e mais tarde Coimbra. Quando nasceu D. Afonso Henriques era a capital do reino e já não se chamava Aeminium.

  5. Mas afinal onde e que isto fica?Estive em Coimbra e nimguem me soube explicar onde isto fica,informacao e turismo e muito pobre.Cidade linda muita historia,mas em frente a Camara Municipal de Coimbra esta um chafariz com agua parada a cheirar mal, o comercio e muito pobre pondo de fora alguns joalheiros.Assim o turismo nao volta mais.Coimbra precisa de sangue fresco.

  6. Bem deixemo-nos de conversas vou a coimbra ,novamente com 10 pessoas para visitar essa cidade Aeminnium…. Espero não ficar pendurado. Neste País há sempre uns burocratas que tomam conta destas coisas,acham que são deles-……

  7. Muito interessantes as imagens e o convite que elas nos fazem para lá ir, não-obstante o texto ter erros de História, com dizer que D. Henrique foi monarca (foi Conde) e que o filho Afonso nasceu em Coimbra (nasceu em Guimarães em 1106), e outras coisas menores.

Send this to a friend